terça-feira, setembro 29, 2009

protegida...

O importante é poder ter sua própria casa...
proteger nas profundezas
e descobrir-se
o importante é poder espiar o mun
do e poder voltar
sem machucar a alma
o importante
é ampliar a percepção
em uma nova visão e poder mergulhar pra dentro quando a sau
dade pegar
o importante é poder entender o mundo la fora
mas se o medo chegar ter para onde voltar

sem deixar desprotegido
o que há de mais importante em você...VOCÊ!



texto de de Sylvia Palumbo Scrocco



na primavera ...talvez descubro minhas vertentes


Surpreendo-me com o tempo
cada minuto onde minhas palavras
desnudam
descobre alguém ainda que desconheça
talvez a mais verdadeira
talvez a ilusão
me vendo
onde nem sei onde estou
e nos segundos
a inesperada surpresa
de quem ainda não sabe quem é
de quem ainda não sabe que quer

foto e poema de Sylvia Palumbo Scrocco
Talvez um dia irei me arrepender por muito que não fiz
Talvez um dia irei me arrepender da falta de coragem
Talvez um dia irei me arrepender de só sonhar

Talvez um dia ...
Talvez um dia irei me arrepender de não ter me arriscado

de não ter acreditado

Um dia irei me arrepender de não ter tentado
de nem ao menos ter viajado

Um dia irei me arrepender de muita coisa que deixei de fazer
Um dia irei me arrepender de não ter acreditado em mim
Um dia irei me arrepender
Um dia quem sabe esse dia não chegará ...
Para pelo menos me enganar e dizer sou feliz ...poema de Sylvia Palumbo Scrocco




Magari un giorno ti racconterò
che è stato facile
dimenticare tutto
Magari un giorno ti sorprenderò
e allora capirai
che ancora sei importante

Ogni volta che non so cosa fare
come un bambino che non sa cosa dire
Tutti i giorni che ricordano altri giorni
Se ho bisogno di sognarti ma non posso dormire
E ci leggo in ogni pagina scritta
se mi accorgo di una frase già detta
Resta ancora quell'immagine indelebile
riassunto che si è perso tra le pagine di ieri tu

Come la fortuna
come la paura
come questa notte che se ne va
come un 'incertezza
come una carezza
come questa voglia che passerà
come la fortuna
come la paura
come questa notte che se ne va
E guardami negli occhi
E siamo già lontani
E so che prima o poi passerà

Ecco un nuovo giorno da scoprire
senza troppo pensare
con la leggerezza di chi a voglia di ricominciare
e muovendo passo dopo passo
con un nuovo respiro
mentre tutto passa sempre passa
ma rimane addosso proprio mentre lo vivo

Zero Assoluto

quarta-feira, setembro 23, 2009

A elegância do ouriço" de Barbery.

Um trecho do livro me chamou atenção:

"(...) meu pensamento profundo do dia: é a primeira vez que encontro alguém que procura as pessoas e que vê além. Isso pode parecer trivial, mas acho, mesmo assim, que é profundo. Nunca vemos além de nossas certezas e, mais grave ainda, renunciamos ao encontro, apenas encontramos a nós mesmos sem nos reconhecer nesses espelhos permanentes. Se nos déssemos conta, se tomássemos consciência do fato de que sempre olhamos apenas para nós mesmos no outro, que estamos sozinhos no deserto, enlouqueceríamos. Quando minha mãe oferece petisfours da casa Ladurée à sra. de Broglie, conta a si mesmaa história de sua vida e apenas mordisca seu próprio sabor; quando papai toma o café e lê o jornal, contempla-se num espelho do gênero manual de autoconvencimento ; quando Colombe fala das aulas de Marian, deblatera sobre seu próprio reflexo, e quando as pessoas passam diante do concierge, só vêem o vazio porque ali não se reconhecem. Do meu lado suplico meu destino que me conceda a chance de ver além de mim mesma e encontrar alguém." trecho extraído do livro: "A elegância do ouriço" de Barbery.

quarta-feira, setembro 16, 2009

no mar

Se queres um escudo impenetrável, permanece dentro de ti mesmo
Autor: Thoreau , Henry

sexta-feira, setembro 11, 2009

formas ...

aceitar diferentes formas
diferentes conceitos de mim mesma
aceitar diferentes maneira de me ver
diferentes jeitos de morrer e viver
são formas que alteram o tempo
é o tempo que altera minhas formas
que até através das comportas que encontram- se dentro de mim
tem formas ...

Sylvia Palumbo Scrocco

quarta-feira, setembro 09, 2009

reconhecer

do lado do avesso me reconheço
do lado de lá é um bom começo
mudo de contexto
percebo o recomeço
abstraio e desfaço
no compasso do avesso
reconheço o desejo
do enredo
um segredo
guardo de trás para frente
o que é diferente
o que parece incoerente
desejo na mente
sempre... sempre .
Sylvia Palumbo Scrocco

segunda-feira, setembro 07, 2009

fuga de si mesmo

O mundo foi criado para mostrar que o esquema de fuga não vai dar certo

Luis Felipe Ponde.

quarta-feira, setembro 02, 2009

"Existem coisas que a gente não esquece, apenas abandona..."

Na esfera da vida
minha escrita só aparecia no espelho
de modo arbitrário
no acaso
a habilidade estava ali
nesse avesso
no inverso ,
no contrario era a arte
e reprimida pela normalidade
pela casualidade
desaparece quem está por vir
aparece uma estranha nas entranhas
de um mundo que não era
de um mundo sem sentido
um mundo de destino trocado
dilacerado
era essa menina da escrita
era esse espelho ,a sua vida
me desfaço no acaso
pelo avesso
no sutil ,
o recomeço

Sylvia Palumbo Scrocco