quinta-feira, outubro 29, 2009

Amar...

...sempre perto ...longe ...distante ....próximo...
o impossível ...o visível ...
o eterno e constante
...
sempre
sem esperar ,sem desejar ,
sem precisar , sem o dever

apenas amar ...
simples ...singelo ...forte , complexo ...
amar
...amar ...amar
tudo ...
todos ...sempre

AMAR SEM medida
AMAR SEM tamanho
AMAR apenas sentir

Sylvia Palumbo Scrocco

quarta-feira, outubro 21, 2009

quem sou eu?

não tenho a idéia de quem sou eu
no gesto corporal
na imagem
- como sou vista ?
...sei lá ...
esse mundo é muito estranho

Aprendendo imagens

Escondido, você me observava

Ouvia minhas histórias,

Descobria a menina

Criava a mulher

Em meios de uma imagem

Às vezes distorcida

Estava ali
presente em tudo
em cada movimento
seus gestos me fascinavam
mas a linguagem agora toma o lugar
e a ingenuidade, a naturalidade dos corpos desaparecem
a cumplicidade do olhar desvanece
na imagem, a tímida

muitas coisas que precisava mudar em mim
e a linguagem não acompanhava o que havia de mais eterno
o amor incondicional
sem promessas, sem o contato, sem o tempo
eram apenas duas imagens no universo

APRENDENDO!


Syl Palumbo Scrocco

domingo, outubro 18, 2009

Existe um amor...




Existe um amor ,um tipo de amor ,

que nos dá coragem para sermos melhores que somos.
Que nos faz sentir que tudo , tudo é possível.
Esse amor um dia já me fez mudar completamente de uma vida,
Esse amor novamente me pôs a escrever,
Esse amor aflorou minhas aptidões,
Esse amor fez dos meus dias ,dias especiais,
Pessoas que não imaginam o quanto mudaram minha vida
sem nunca,
nunca ter feito parte dela ...



Obrigada universo!

Sylvia Palumbo Scrocco



sexta-feira, outubro 16, 2009

Criança adormecida .


Adormecida acordou de uma longa noite,

não recordava de onde vinha aquele desejo.

Desejo na claridade, perdia sua vaidade

Adormecida acordou no meio da noite,

viveu na escuridão,

não sabia o que estava fazendo naquele lugar.

Não percebeu o tempo.

Adormecida não sabia ainda que na criança


estavam as respostas de seus anseios.

Por que será que demoramos para acordar?


quarta-feira, outubro 14, 2009

pretensões.


...Não escrevo para Ninguém
Escrevo para me encontrar ...
A escrita é meu
ÁLIBI


dúvidas existênciais


O que seria de mim se eu tivesse outra estrada para trilhar ?
Teria sido mais feliz?
Teria sido diferente?
O que seria de mim se eu voltasse a ser criança e tivesse outro caminho para escolher?
Estaria eu aqui no mesmo lugar?
Ou teria uma nova estrada para começar?
Poderia ter pulado alguns caminhos

Diminuído o percurso
Percebi que muitas vezes andei em círculo

mas...

engraçado...
Tenho a sensação que estou no exato momento que desejo estar.

Sylvia Palumbo Scrocco

segunda-feira, outubro 12, 2009

marcando o tempo

Não quero dificultar o entendimento através de poemas e palavras
quero na simplicidade, a profundidade
quero me deixar levar pelo sentido
entregar me aos sabores da vida
na pequena e singela escrita
estou aqui
marcando o tempo

Sylvia Palumbo Scrocco

pensamentos soltos

o pensamento pode intensificar minha vida ou até diminuí la
mas não avaliar a vida
não existe a minha compreensão
existe a vida
uma grande navegação
e espero que o mar me engula um dia
no meio de uma grande ilusão
necessária para eu aceitar uma idéia
a idéia da verdade
é que essa verdade não venha apenas através da poesias, e de palavras soltas.
E sim de uma vida muito vivida
somente com o coração

Sylvia Palumbo Scrocco

domingo, outubro 11, 2009

linhas que intensificam a vida


A escrita opunha-se à minha mente.

Opunha-se à realidade dos conteúdos internos,

Me defendia da escrita mas,

nas linhas tortuosas desvendavam-se meus segredos.

Induzida pela mensagem,

a caneta agora deslizava suavemente,

Obrigando-me a descobrir os mais infortúnios desejos incontidos na minha natureza.

E nas entre linhas,

eu nascia, cada vez mais forte e com o intuito de perceber cada detalhe da vida.

Nos desenhos formados pela minha mente que escreve,

Surge a observadora,

Completamente nua e perplexa com o que podia ver.

Nas entranhas da poesia,

eu era forçada a ver minha própria morte,

Que delicada e perspicaz,

Fazia da minha pessoa

A minha grande evolução

Sylvia Palumbo Scrocco


sábado, outubro 10, 2009

La vita' e' troppo bella

scusamiiiii MEU FUNDO DO POÇO Tem MOLA ! RSRSRS


TRÊS MOLAS :
uma mola pra salvar meu coração

uma mola do bom senso
uma mola da auto superação

Ano da cura


No lúdico, me descubro

No descanso

Protejo-me

No impasse

No enigma

Reescrevo-me.

Ganhos incalculáveis,

Imensuráveis

o desejo incontido ganha a liberdade

Sem marcas

Sem rastros

...

Cicatrizada!



Sylvia Palumbo Scrocco