terça-feira, abril 19, 2011

caminho totalmente desprovida de algo sensacional
aprisiono me na corda da vida
me debato incansavelmente no sentido de me machucar
perco a cabeça
perco os sentidos que me seguram no chão
não sei mais para onde ir
meu desejo é partir
não sei ainda o sentido de viver
de transparecer me
não acho o chão para alcançar meus sonhos
preciso de um alicerce que não encontro em mim mesma
ando solitária no único objetivo
de me encontrar