quarta-feira, agosto 29, 2012

O INESPERADO



Passa o tempo...
e percebemos
que nada substituí o amor
não existe a ausência
mas um aprendizado profundo do que somos.
Passa um tempo...
e desejamos ainda mais esse tempo subjetivo
profundo e existente em nós
onde o encontro é inevitável
no real que nunca existiu
envolvente é o sonho que arrancam meus pés do chão
e, quando estes sonhos colidirem
Colocarei adiamento para abrir meus olhos
Sylvia Palumbo Scrocco